O Brasil e as fantasias do processo eleitoral

A invasão das campanhas eleitorais está carregada de fantasias, a maior delas é a de que o político é um herói e que realiza muitos favores devido a sua grande benevolência.


O que é o Brasil? Um país de ignorantes que não são capazes de compreender política? Uma nação sem espírito crítico, impossibilitada de questionar e ser questionada? A campanha eleitoral que se apresenta segue os moldes do entretenimento barato produzido por estímulos áudio-visuais imbuídos por técnicas de marketing e está desprovida de discussões elaboradas, as quais, de fato, o real perfil do brasileiro mereceria presenciar. A verdade é que tanto o homem do campo, que é capaz de elaborar complexos sistemas de plantio, quanto o homem da cidade, que é capaz de criar complexos sistemas de sobrevivência, parecem ainda não perceber o potencial político que possuem e continuam sendo iludidos pelos reais ignorantes, cujo deleite é a perpetuação do seu status de “poder”.

É corriqueira a conversa entre a cabeleireira durante as doze horas que passa realizando seu serviço às pessoas que lhe procuram lá no salão, falam de sexo, de moda, de relacionamentos e também de política, realizam tarefas complexas de física, química, jornalismo e persuasão e no final do expediente somam seus lucros, certas de que não cometeram nenhuma desonestidade ao longo de seu dia.

No interior das Minas Gerais, por volta das cinco horas da manhã, homens e mulheres se despertam já se dirigindo às plantações de café para iniciar as atividades de cultivo. É impressionante como são capazes de saber a quantidade exata de adubos, a forma com que devem realizar a poda e o momento exato de se iniciar a colheita. Seguem um sistema complexo de lavagem, secagem e ensacamento, além de possuírem uma inigualável habilidade de administrar sua renda com entradas anuais baseadas, entre outras coisas, no mercado futuro e na bolsa de Nova York. Ao final de cada dia, dormem tranquilamente certos de que não cometeram nenhuma desonestidade ao longo de seu dia.

No Vale do Paraíba, homens e mulheres se despertam também por volta das 5h30, seguem para as fábricas de automóveis, aviões e tantos outros produtos, mas não sem antes deixar seus filhos nas escolas. São especialistas em finanças quando administram um pequeno salário para dar conta de todas as demandas da família ao longo do mês. São especialistas em gerenciar conflitos quando a criminalidade ronda suas casas ou quando o estresse do dia-a-dia afeta a paz em seus lares.

De norte a sul, o que faz o Brasil ser um grande país não é a figura dopolítico, certamente eles nunca foram os maiores responsáveis por qualquer desenvolvimento. A política é um mero serviço, cuja importância se repousa num contrato de confiança, onde a sociedade deposita seu voto e grande parte de suas conquistas em função do bem comum.

A invasão das campanhas eleitorais está carregada de fantasias, a maior delas é a de que o político é um herói e que realiza muitos favores devido a sua grande benevolência. A verdade é que durante quatro anos eles deveriam passar nos salões aplaudindo as cabelereiras, nas roças ouvindo os discursos dos agricultores, nas escolas apoiando os professores e alunos, na porta da sua casa aplaudindo você e sua família. A verdade é que o político deveria sentar-se todos os dias para assistir ao Programa Eleitoral Gratuito cujo conteúdo fosse um Reality Show do dia-a-dia do real povo brasileiro. A verdade é que cada político deveria depositar diariamente um voto de eficiência e de honestidade em seu mandato.

Nenhum povo deve ser escravo da ignorância, nem tampouco ser considerado incapaz de compreender o mundo da política. No Brasil falta educação, saúde, transporte, segurança e muitas outras coisas. É triste ser considerado um país de terceiro mundo e não poder revidar a esta afirmação, mas os políticos devem ter por certo de que o que não falta para cada brasileiro é sua dignidade de cidadão. E esta deve ser perenemente respeitada!

Para Curtir a nossa Página no Facebook Clique Aqui!
http://www.aleteia.org/

V Cerco de Jericó da Paróquia Santa Clara de Assis de Penápolis SP

A Paróquia Santa Clara de Assis  prepara 7 dias de adoração ao Santíssimo Sacramento
Adorações ocorrerão por uma semana, com 24 horas por dia ininterruptas.

Imagem: Padre Joaquim com o Santíssimo no
Cerco de Jericó do Ano passado (set/2013)
Já está tudo preparado para a realização do já tradicional ‘Cerco de Jericó’ V edição, entre os dias 07 e 14 de setembro, na Igreja Santa Clara de Assis, com 24 horas de adoração ao Santíssimo Sacramento.
Organizada sob os olhares atentos do pároco, padre Joaquim de Lima Brito, o Cerco terá uma intenção específica em cada celebração: O tema escolhido para este ano é: "DERRUBANDO AS MURALHAS PELO PODER DA ORAÇÃO"


PROGRAMAÇÃO

1º Dia: Domingo 07 de Setembro (Abertura às 19h30min)
Celebrante: PE Joaquim de Lima Brito (Pároco)
Cidade: Penápolis

2º Dia: Segunda – feira 08 de Setembro (às 19h30min)
Celebrante: PE Rafael Contini
Cidade: Presidente Prudente
Lema/ Direção: “Vinde a mim que sou manso e humilde de coração”
Benção das vestes.

3º Dia: Terça – feira 09 de Setembro (às 19h30min)
Celebrante: PE Jesus Aguiar
Cidade: Promissão
Lema/ Direção: “Por causa da Tua Palavra Lançaremos as redes”
Benção das chaves.

4º Dia: Quarta – feira 10 de Setembro (às 19h30min)
Celebrante: PE Lauro e Ministério Via Sagrada
Cidade: Birigui
Lema/ Direção: “O impossível Jesus pode realizar”
Benção do Sal.

5º Dia: Quinta – feira 11 de Setembro (às 19h30min)
Celebrante: PE Sidnei
Cidade: Birigui
Lema/ Direção: “Buscai primeiro o reino de Deus e tudo mais nos será acrescentado”
Benção das Carteiras de trabalho.

6º Dia: Sexta – feira 12 de Setembro (às 19h30min)
Celebrante: PE Fábio Fabrete
Cidade: Penápolis
Lema/ Direção: “Ao nome de Jesus todo joelho se dobrará”
Benção das imagens.

7º Dia: Sábado 13 de Setembro (às 19h30min)
Celebrante: PE Cadu
Cidade: Lins
Lema/ Direção: “Do seu interior brotarão rios de água viva”
Benção da Água.

8º Dia: Domingo 14 de Setembro (Encerramento às 19h30min)
Celebrante: PE Francisco Arcanjo
Cidade: Promissão
Lema/Direção: “Em tudo dai Graças”

O Cerco de Jericó é uma campanha de sete dias e sete noites de oração diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento. Sua inspiração mais remota encontra-se no capítulo 6 do livro de Josué.

O texto sagrado conta que antes de chegar á terra prometida, o povo de Israel se viu diante das grandes muralhas de Jericó que o impediam de prosseguir a caminhada. Obedecendo a voz de Deus, Josué convidou os israelitas a orarem durante sete dias e sete noites rodeando as muralhas de Jericó, tendo à frente a Arca da Aliança, sinal da presença de Deus.
Josué e os Israelitas acreditaram na promessa divina de que no sétimo dia durante a sétima volta, as muralhas cairiam e eles alcançariam a vitória, coisa que de fato aconteceu.

Gesto Concreto:

Você é convidado a fazer um gesto nobre de solidariedade dôe alimentos não perecíveis que que serã entregue pela equipe de vicentinos as familias carentes de nossa paróquia.

Por Pedro Trajano de Araujo










Homilia do 23º Domingo Comum - 07 de Setembro de 2014

Mt 18, 15-20

“Onde dois ou três estiverem reunidos no meu nome, eu estarei no meio deles”

Este texto é tirado do Discurso Eclesiológico, que trata de problemas da vida
cotidiana da comunidade dos discípulos, que Mateus chama de “Igreja”, (nos Evangelhos, o termo “Igreja” só acorre aqui e em Mt 16,18, e se refere à Igreja como comunidade local). Entre esses problemas podemos detectar a ânsia pelo poder (vv 1-5), o escândalo dado aos pobres e humildes (vv 6-14), a questão do irmão que erra (vv 15-20) e o perdão das ofensas (vv 21-25). São questões ainda atuais para as comunidades de hoje.
Um das grandes assuntos que perpassa o capítulo é a preocupação com o irmão (irmã) que se desgarra ou se desvia. A tônica é que os dirigentes – e a comunidade – devem ter a mesma atitude de Jesus diante de tais pessoas, ou seja, a compaixão, a compreensão, a vontade de reintegrá-las na comunidade. Somente em último caso o erro dum irmão deve ser levado à comunidade mais ampla (a Igreja), pois a caridade exige que primeiro se procura resolver a questão em particular. É nesse espírito que a comunidade recebe o poder que Pedro recebeu em Cap. 16,19, o de excluir o infrator da comunidade. Mas é essencial interpretar esse direito à luz de vv 12-14, onde a busca da ovelha desgarrada é dever primordial dos dirigentes comunitários, a exemplo do Pai Celeste. Esse sentido da exclusão é ressaltado por Paulo em 1Cor 5,5: “humanamente ele será arrasado, mas o seu espírito será salvo no dia do Senhor”.
O texto conclui dizendo que “se dois de vocês estiverem de acordo sobre qualquer coisa que queiram pedir, isso lhes será concedido”. Certamente, “qualquer coisa” se situa dentro das preocupações desta seção de Mt que trata do seguimento de Jesus e da vivência da comunidade. Não se refere a um pedido que não fomenta a chegada do Reino, da justiça, da partilha, da fraternidade. Quantas vezes os nossos pedidos são nada mais do que expressões do nosso individualismo. Cumpre lembrar que o Deus da Bíblia ouve “o clamor do sofrido”, como tantos textos afirmam. O Evangelho afirma que o Pai vai atender qualquer pedido em nome de Jesus, em favor da chegada do Reino. Não é que não podemos rezar por nossas preocupações individuais e pessoais, mas elas não podem dominar o horizonte da nossa fé. Devemos realmente lembrar a frase tão importante de Mateus que nos ensina “Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e tudo isso será dado em acréscimo”. A nossa oração jamais poderá ser desvinculada dos grandes temas do Reino e do sofrimento de tantos irmãos no mundo de hoje.

Escrito por Pe. Helder Salvador
http://www.teologiafeevida.com.br/

Música para o 23º Domingo do Tempo Comum - DIA 7 DE SETEMBRO 2014

1ª Opção:

A correção fraterna


Os vídeos ou áudios aqui apresentados têm o objetivo de proporcionar apenas amostras dos cantos litúrgicos suficientes para os que desejam aprender e cantar nas liturgias. As músicas completas poderão ser adquiridas em estabelecimento que comercialize músicas católicas ou pela internet nos sites especializados.

ENTRADAVídeo ou mp3PartituraCifraIndicação
És um Deus justo ó SenhorVídeoPartituraCifra1
Ao Senhor dos Senhores cantaiVídeoPartituraCifra2
Alegres vamos á casa do PaiVídeoPartituraCifra3
SALMO RESPONSORIAL
Não fecheis o coração, ouvi hojeVídeoPartituraCifra1
ACLAMAÇÃO
Aleluia! O Senhor reconciliou o mundoVídeoPartituraCifra1
OFERENDAS
A liberdade haveráVídeoPartituraCifra1
Minha vida tem sentidoVídeoPartituraCifra4
COMUNHÃO
Vá e mostre o erro do seu irmãoVídeoPartituraCifra1
Se eu não tiver amor eu nada sou SenhorVídeoPartituraCifra2
OUTROS
Jesus Cristo é o SenhorVídeoPartituraCifra3
Tua Palavra nos chegouVídeoPartituraCifra3
Toda Bíblia é comunicaçãoVídeoPartituraCifra4


Indicações:
1. Folhetos litúrgicos de circulação nacional.
2. Arquidiocese de Goiania – GO.
3. Diocese de Colatina – ES.
4. Arquidiocese de São Paulo – SP.

2ª Opção: (Esperando)


Para curtir a nossa pagina do Facebook clique aqui!

Liturgia diária do 23º Domingo Tempo Comum - DIA 7 DE SETEMBRO - DOMINGO 2014

XXIII DOMINGO DO TEMPO COMUM 
(VERDE, GLÓRIA, CREIO – III SEMANA DO SALTÉRIO)

Antífona da entrada: Vós sois justo, Senhor, e justa é a vossa sentença; tratai o vosso servo segundo a vossa misericórdia (Sl 118,137.124).
Oração do dia
Ó Deus, Pai de bondade, que nos redimistes e adotastes como filhos e filhas, concedei aos que crêem em Cristo a verdadeira liberdade e a herança eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Leitura (Ezequiel 33, 7-9)
Leitura do livro do profeta Ezequiel.
Assim diz o Senhor: 33 7 "Filho do homem, eu te constituí sentinela na casa de Israel. Logo que escutares um oráculo meu, tu lhe transmitirás esse oráculo de minha parte.
8 Se eu disser ao pecador que ele deve morrer, e tu não o avisares para pô-lo de guarda contra seu proceder nefasto, ele perecerá por causa de seu pecado, mas a ti pedirei conta do seu sangue.
9 Todavia, se depois de receber tua advertência para mudar de proceder, nada fizer, ele perecerá devido a seu pecado, enquanto tu salvarás a tua vida".
Palavra do Senhor.

 
Salmo responsorial 94/95
Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:
não fecheis os corações como em Meriba.

Vinde, manifestemos nossa alegria ao Senhor,
aclamemos o Rochedo que nos salva!
Ao seu encontro caminhemos com louvores
e, com cantos de alegria, o celebremos!

Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra,
E ajoelhemos ante o Deus que nos criou!
Porque ele é o nosso Deus, nosso pastor,
e nós somos o seu povo e seu rebanho,
as ovelhas que conduz com sua mão.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:
“não fecheis os corações como em Meriba,
como em Massa, no deserto, aquele dia,
em que outrora vossos pais me provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras”.

 
Leitura (Romanos 13,8-10)
Leitura da carta de são Paulo aos Romanos.
Irmãos, 13 8 A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, a não ser o amor recíproco; porque aquele que ama o seu próximo cumpriu toda a lei.
9 Pois os preceitos: Não cometerás adultério, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e ainda outros mandamentos que existam, eles se resumem nestas palavras: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
10 A caridade não pratica o mal contra o próximo. Portanto, a caridade é o pleno cumprimento da lei.
Palavra do Senhor.

 
Evangelho (Mateus 18,15-20)
Aleluia, aleluia, aleluia.
O Senhor reconciliou o mundo em Cristo, confiando-nos sua palavra; a palavra da reconciliação, a palavra que hoje, aqui, nos salva (2Cor 5,19).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 18 15 "Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão.
16 Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas.
17 Se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano.
18 Em verdade vos digo: tudo o que ligardes sobre a terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes sobre a terra será também desligado no céu.
19 Digo-vos ainda isto: se dois de vós se unirem sobre a terra para pedir, seja o que for, consegui-lo-ão de meu Pai que está nos céus.
20 Porque onde dois ou três estão reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles".
Palavra da Salvação.

 
Comentário ao Evangelho
CORRIGIR COM DISCERNIMENTO
É preciso agir com extremo discernimento, quando se trata de afastar um membro da comunidade do convívio fraterno. Em geral, as lideranças da comunidade são tentadas a deixar-se levar por critérios irrelevantes, revelando-se injustos contra quem cometeu uma falta. Uma decisão deste porte não pode depender de preconceitos ou do que pensam os líderes. Importa somente fazer a vontade de Deus.
A comunidade cristã deve rezar e refletir muito, antes de excomungar alguém. Sua decisão deve corresponder ao pensamento de Jesus. Por isso, é necessário evitar que a reunião onde se toma uma tal decisão se assemelhe a um tribunal onde se submete a pessoa a um juízo inclemente. O melhor lugar para se decidir isso é a assembléia eucarística. A ela se refere a afirmação do Senhor: "Onde dois ou três estão reunidos em meu nome, estou ali, no meio deles". Neste caso, trata-se de uma reunião bem específica, na qual a comunidade põe-se de acordo para pedir a luz divina, antes de decidir sobre a sorte do membro que errou. Se a comunidade pede com sinceridade, poderá estar certa de ser atendida pelo Pai.
A decisão comunitária, se tomada seriamente, terá o aval de Deus. Ou seja, se o membro for desligado da comunidade terrestre, será também desligado da comunidade celeste. O Pai confirma o veredicto da comunidade que agiu com discernimento.

Oração
Espírito de seriedade, livra-nos da leviandade e, afastar da comunidade os membros que erraram. Pelo contrário, que o façamos após a devida ponderação diante do Senhor.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)

 
Sobre as oferendas
Ó Deus, fonte da paz e da verdadeira piedade, concedei-nos, por esta oferenda, render-vos a devida homenagem e fazei que nossa participação na eucaristia reforce entre nós os laços da amizade. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da comunhão: Eu sou a luz do mundo, diz o Senhor; aquele que me segue não anda nas trevas, mas terá a luz da vida (Jo 8,12).
Depois da comunhão
Ó Deus, que nutris e fortificais vossos fiéis com o alimento da vossa palavra e do vosso pão, concedei-nos, por estes dons do vosso Filho, viver com ele para sempre. Por Cristo, nosso Senhor.


Dom Total

SALMO PARA 23º DOMINGO DO TEMPO COMUM - 07 DE SETEMBRO DE 2014

1ª Opção


* Salmo 94 *
23º Domingo Tempo Comum
Cifra & Letra (Word)

MP3 (música)
Ficha técnica:
 Voz e melodia: Marcio Cruz
 Arranjos: Rafael Wolff
 Vinheta de abertura: Alex Olliveira
(Banda Canal da Graça)
 Divulgação e Apoio: Rafael de Angeli
& Portal da Música Católica

Saiba mais sobre Marcio Cruz (e/ou entre em contato):
 E-mail: marcio_da_cruz@yahoo.com.br WebSite Oficial: marciocruz.com.br
Twitter: twitter.com/marcio_cruz
 Facebook: fb.com/marcio.cruz.796

 Comprar ou conhecer os CDs de Marcio Cruz? Clique AQUI!



2ª Opção





http://www.cantandonamissa.com.br/

Evangelho do 23º Domingo Tempo Comum - Ano A - 7 de setembro de 2014

Mateus 18,15-20

Aleluia, aleluia, aleluia.
O Senhor reconciliou o mundo em Cristo, confiando-nos sua palavra; a palavra da reconciliação, a palavra que hoje, aqui, nos salva (2Cor 5,19).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 18 15 "Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão.
16 Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas.
17 Se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano.
18 Em verdade vos digo: tudo o que ligardes sobre a terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes sobre a terra será também desligado no céu.
19 Digo-vos ainda isto: se dois de vós se unirem sobre a terra para pedir, seja o que for, consegui-lo-ão de meu Pai que está nos céus.
20 Porque onde dois ou três estão reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles".
Palavra da Salvação.

 

Comentário do Evangelho
CORRIGIR COM DISCERNIMENTO
É preciso agir com extremo discernimento, quando se trata de afastar um membro da comunidade do convívio fraterno. Em geral, as lideranças da comunidade são tentadas a deixar-se levar por critérios irrelevantes, revelando-se injustos contra quem cometeu uma falta. Uma decisão deste porte não pode depender de preconceitos ou do que pensam os líderes. Importa somente fazer a vontade de Deus.
A comunidade cristã deve rezar e refletir muito, antes de excomungar alguém. Sua decisão deve corresponder ao pensamento de Jesus. Por isso, é necessário evitar que a reunião onde se toma uma tal decisão se assemelhe a um tribunal onde se submete a pessoa a um juízo inclemente. O melhor lugar para se decidir isso é a assembléia eucarística. A ela se refere a afirmação do Senhor: "Onde dois ou três estão reunidos em meu nome, estou ali, no meio deles". Neste caso, trata-se de uma reunião bem específica, na qual a comunidade põe-se de acordo para pedir a luz divina, antes de decidir sobre a sorte do membro que errou. Se a comunidade pede com sinceridade, poderá estar certa de ser atendida pelo Pai.
A decisão comunitária, se tomada seriamente, terá o aval de Deus. Ou seja, se o membro for desligado da comunidade terrestre, será também desligado da comunidade celeste. O Pai confirma o veredicto da comunidade que agiu com discernimento.

Oração
Espírito de seriedade, livra-nos da leviandade e, afastar da comunidade os membros que erraram. Pelo contrário, que o façamos após a devida ponderação diante do Senhor.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)

 
Leitura
Ezequiel 33, 7-9
Leitura do livro do profeta Ezequiel.
Assim diz o Senhor: 33 7 "Filho do homem, eu te constituí sentinela na casa de Israel. Logo que escutares um oráculo meu, tu lhe transmitirás esse oráculo de minha parte.
8 Se eu disser ao pecador que ele deve morrer, e tu não o avisares para pô-lo de guarda contra seu proceder nefasto, ele perecerá por causa de seu pecado, mas a ti pedirei conta do seu sangue.
9 Todavia, se depois de receber tua advertência para mudar de proceder, nada fizer, ele perecerá devido a seu pecado, enquanto tu salvarás a tua vida".
Palavra do Senhor.

 
Salmo 94/95
Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:
não fecheis os corações como em Meriba.


Vinde, manifestemos nossa alegria ao Senhor,
aclamemos o Rochedo que nos salva!
Ao seu encontro caminhemos com louvores
e, com cantos de alegria, o celebremos!

Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra,
E ajoelhemos ante o Deus que nos criou!
Porque ele é o nosso Deus, nosso pastor,
e nós somos o seu povo e seu rebanho,
as ovelhas que conduz com sua mão.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:
“não fecheis os corações como em Meriba,
como em Massa, no deserto, aquele dia,
em que outrora vossos pais me provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras”.

 
Oração
Ó Deus, Pai de bondade, que nos redimistes e adotastes como filhos e filhas, concedei aos que crêem em Cristo a verdadeira liberdade e a herança eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Dom Total

Liturgia Diária DIA 6 DE SETEMBRO - SÁBADO 2014

XXII SEMANA DO TEMPO COMUM *
(VERDE – OFÍCIO DO DIA)

Antífona da entrada: Tende compaixão de mim, Senhor, clamo por vós o dia inteiro; Senhor, sois bom e clemente, cheio de misericórdia para aqueles que vos invocam (Sl 85,3.5).
Oração do dia
Deus do universo, fonte de todo bem, derramai em nossos corações o vosso amor e estreitai os laços que nos unem convosco para alimentar em nós o que é bom e guardar com solicitude o que nos destes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Leitura (1 Coríntios 4,6,15)
Leitura da primeira carta de são Paulo aos Coríntios.
4 6 Se apliquei tudo isso a mim e a Apolo foi por vossa causa, para que, por meio de nós, aprendais a não ultrapassar o que está escrito e para que vos não ensoberbeçais tomando partido a favor de um e com prejuízo de outrem.
7 O que há de superior em ti? Que é que possuis que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se o não tivesses recebido?
8 Já estais fartos! Já estais ricos! Sem nós, sois reis! Praza a Deus que reineis, de fato, para que também nós reinemos convosco!
9 Porque, ao que parece, Deus nos tem posto a nós, apóstolos, na última classe dos homens, por assim dizer sentenciados à morte, visto que fomos entregues em espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens.
10 Nós, estultos por causa de Cristo; e vós, sábios em Cristo! Nós, fracos; e vós, fortes! Vós, honrados; e nós, desprezados!
11 Até esta hora padecemos fome, sede e nudez. Somos esbofeteados, somos errantes,
12 fatigamo-nos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Insultados, abençoamos; perseguidos, suportamos; caluniados, consolamos!
13 Chegamos a ser como que o lixo do mundo, a escória de todos até agora...
14 Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas admoesto-vos como meus filhos muitos amados.
15 Com efeito, ainda que tivésseis dez mil mestres em Cristo, não tendes muitos pais; ora, fui eu que vos gerei em Cristo Jesus pelo Evangelho.
Palavra do Senhor.

 
Salmo responsorial 144/145
O Senhor está perto de quem o invoca!

É justo o Senhor em seus caminhos,
é santo em toda obra que ele faz.
Ele está perto da pessoa que o invoca,
de todo aquele que o invoca lealmente.

O Senhor cumpre os desejos dos que o temem,
ele escuta os seus clamores e os salva.
O Senhor guarda todo aquele que o ama,
mas dispersa e extermina os que são ímpios.

Que a minha boca cante a glória do Senhor
e que bendiga todo ser seu nome santo
desde agora, para sempre e pelos séculos.

 
Evangelho (Lucas 6,1-5)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Sou o caminho, a verdade e a vida: ninguém vem ao Pai, senão por mim (Jo 14,6)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
6 1 Em dia de sábado, Jesus atravessava umas plantações; seus discípulos iam colhendo espigas (de trigo), as debulhavam na mão e comiam.
2 Alguns dos fariseus lhes diziam: “Por que fazeis o que não é permitido no sábado?”
3 Jesus respondeu: “Acaso não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os seus companheiros;
4 como entrou na casa de Deus e tomou os pães da proposição e deles comeu e deu de comer aos seus companheiros, se bem que só aos sacerdotes era permitido comê-los?”
5 E ajuntou: “O Filho do Homem é senhor também do sábado”.
Palavra da Salvação.

 
Comentário ao Evangelho
O SENHOR DO SÁBADO
Sendo Jesus o Filho do Homem, pleno de poderes recebidos do Pai, podia agir com liberdade diante da tradição. Pouca importância tinha para ele as distinções minuciosas e as interpretações casuístas que corriam nos ambientes farisaicos. No caso do repouso sabático, colocava-se acima dos limites sutis entre as ações proibidas e aquelas permitidas, no dia consagrado ao Senhor.
Daí sua atitude de indiferença quanto ao fato de seus discípulos, ao atravessar um trigal em dia de sábado, terem apanhado espigas e comê-las. Em que este gesto representava um desrespeito a Deus? Por que classificá-lo como pecaminoso e, por isso, proibi-lo? Jesus não via nele motivos para censurar seus discípulos, e impedi-los de praticar esta ação.
Se Davi tomou a liberdade de saciar sua fome com pães consagrados, que só aos sacerdotes era permitido comer, o Filho do Homem estava agindo muito mais corretamente com os seus discípulos! Sua superioridade em relação ao antigo rei de Israel permitia-lhe liberá-los da submissão às prescrições judaicas.
Jesus concedia, assim, aos discípulos uma liberdade desconhecida no mundo dos mestres da Lei e dos fariseus. A ação de Jesus fundava-se num dado que seus adversários desconheciam: sua condição de Filho de Deus.

Oração
Espírito que liberta, desata as amarras que mantêm o povo fanaticamente apegado a certas tradições, diante das quais o Pai permite agir com liberdade.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)

 
Sobre as oferendas
Ó Deus, o sacrifício que vamos oferecer nos traga sempre a graça da salvação, e vosso poder leve à plenitude o que realizamos nesta liturgia. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da comunhão: Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, que reservastes para aqueles que vos temem! (Sl 30,20)
Depois da comunhão
Restaurados à vossa mesa pelo pão da vida, nós vos pedimos, ó Deus, que este alimento da caridade fortifique os nossos corações e nos leve a vos servir em nossos irmãos e irmãs. Por Cristo, nosso Senhor.


MEMÓRIA FACULTATIVA

NOSSA SENHORA NO SÁBADO 
(BRANCO – MISSAL, PÁG. 739)

Oração do dia: Ó Deus todo-poderoso, pela intercessão de Maria, nossa mãe, socorrei os fiéis que se alegram com a sua proteção, livrando-os de todo mal neste mundo e dando-lhes a alegria do céu. Por nosso Senhor Jesus Cristo.
Sobre as oferendas: Acolhei, o Deus, as preces e oferendas apresentadas em honra de Maria, mãe de Jesus Cristo, vosso Filho; concedei que elas vos sejam agradáveis e nos tragam a graça da vossa proteção. Por Cristo, nosso Senhor.
Depois da comunhão: Refeitos pelos sacramentos da salvação ao festejarmos a mãe de Jesus Cristo, vosso Filho, nós vos pedimos, ó Pai, a graça de gozarmos sempre os frutos da redenção. Por Cristo, nosso Senhor.
Santo do Dia / Comemoração (NOSSA SENHORA):


Dom Total