O direito ao aborto? Não existe em nenhuma legislação internacional

As associações "pró-vida" irlandesas repondem à ONU, que continua a dizer que a legislação de Dublin sobre o aborto viola as normas internacionais sobre os direitos humanos.


Muita coisa em jogo no Conselho para os direitos humanos das Nações Unidas em Genebra, onde a Irlanda se encontra diante de uma bifurcação: ceder às pressões da ONU e, portanto, abdicar aos pedidos de “suavizar” a sua legislação sobre o aborto ou resistir na luta pela tutela do nascituro.

“Duro” e “insistente” foi a acusação do Conselho ao qual foi submetido, em meados de Julho, Frances Fitzgerald, ministro da Justiça da Irlanda. Motivo da arenga: a atual legislação de Dublin sobre o aborto violaria as normas internacionais sobre os direitos humanos.
O Conselho considerou insuficiente o compromisso da Irlanda, no ano passado, quando, para cumprir as exigências da ONU alterou a sua legislação sobre o aborto, com a aprovação de uma lei denominada The Protection of Life During Pregnancy Act. A norma confirmou as restrições irlandesas em matéria de aborto, mas acrescentando uma passagem relativa aos riscos para a mãe.
A lei, conforme expressamente anunciado pelo governo, estava destinada a esclarecer as circunstâncias em que, devido a uma condição física precária da mãe, o aborto pode ser permitido. Além disso, com a aprovação da lei o acesso ao aborto foi estendido até mesmo onde há um risco de suicídio da mulher grávida. Para continuar, no entanto, é necessário o parecer unânime de três médicos (um obstetra e dois psicólogos).
É ainda muito pouco para o Conselho dos Direitos Humanos das Nações Unidas, segundo o qual a legislação irlandesa continua a "criminalizar" as mulheres grávidas, negando-lhes poder recorrer a isso - ao aborto - que é definido um “direito”. Yuval Sahny, relator da acusação, destacou que a Irlanda nega assim o acesso à interrupção da gravidez “mesmo em circunstâncias em que nós, Estados, (membros) julgamos que tenha que ser uma obrigação permitir o aborto legal e seguro".
A ONU, no entanto, tem se encontrado com interlocutores nem um pouco dispostos, muito pelo contrário, capazes de manter a própria legislação sobre o aborto. Mary Jackson, funcionária do Departamento de Saúde, disse que reivindicou que a lei reprovada pelo Parlamento irlandês um ano atrás está em conformidade com as exigências da ONU.
Estiveram presentes na discussão em Genebra, também Lorcan Price, advogado e representante da Campanha Pro-vida, Associação Irlandesa em defesa da vida. Price contestou a interpretação de que as Nações Unidas têm o conceito de direitos, afirmando: "Não existe nenhum direito ao aborto na legislação internacional”. Portanto, não está em Irlanda mas em outro lugar a discordância com os direitos humanos. “Hoje os riquíssimos lobby pró-aborto - disse ele – tentam enganar a Comissão de Direitos Humanos aqui em Genebra, argumentando que o feto ainda não nascido não tem o direito de viver. Esta afirmação é completamente contrária às leis sobre direitos humanos".
Lobby que têm nomes e sobrenomes. "Espero com todo o coração -  continuou Price – que o Comitê defenda o direito à vida e rejeite a pressão internacional dos grupos estadunidenses, como o Center for Reproductive Rights, que querem impor a todo custo o regime do aborto na Irlanda”. As Nações Unidas – observou, portanto, o presidente da associação pro-vida – “sabem que não existe um direito internacional sobre o aborto na legislação. Se a Onu assumisse uma posição explicitamente a favor do aborto, causaria um dano incalculável na sua credibilidade como organismo em defesa dos verdadeiros direitos humanos”.
Duro o comentário feito em Lifenews de Cora Sherlock, vice-presidente de Pro-Life Campaign, que definiu a audiência da Comissão com a Irlanda uma “farsa”, porque as Nações Unidas demonstraram ser "extremamente tendenciosas em favor do 'aborto". Por exemplo, Sherlock lembrou que da ONU “nem mesmo um murmúrio de preocupação se levantou por causa das terríveis situações de Países como a Inglaterra, onde as crianças que sobrevivem de um aborto não recebem assistência médica e são abandonadas à morte nos cantos”. E ainda sobre a Inglaterra, o Conselho “não falou nada sobre o recente caso documentado em que os restos de 15 mil crianças abortadas foram queimados para produzir calor nos hospitais ou que, na Inglaterra, as gravidezes podem ser interrompidas por razões de deficiência do feto até no momento do parto”.
Uma "farsa", para parafrasear Sherlock, destinada a continuar. Espera-se agora que o Conselho se reúna novamente, para fazer um novo teste em base às declarações recolhidas e emitir assim as suas observações conclusivas daqui a duas semanas.

Liturgia Diária DIA 3 DE AGOSTO - DOMINGO 2014

XVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM 
(VERDE, GLÓRIA, CREIO – II SEMANA DO SALTÉRIO)

Antífona da entrada: Meus Deus, vinde libertar-me, apressai-vos, Senhor, em socorrer-me. Vós sois o meu socorro e o meu libertador; Senhor, não tardeis mais (Sl 69,2.6).
Oração do dia
Manifestais, ó Deus, vossa inesgotável bondade para com os filhos e filhas que vos imploram e se gloriam de vos ter como criador e guia, restaurando para eles a vossa criação e conservando-a renovada. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Leitura (Isaías 55,1-3)
Leitura do livro do profeta Isaías.
Assim diz o Senhor: 55 1 "Todos vós, que estais sedentos, vinde à nascente das águas; vinde comer, vós que não tendes alimento. Vinde comprar trigo sem dinheiro, vinho e leite sem pagar!
2 Por que despender vosso dinheiro naquilo que não alimenta, e o produto de vosso trabalho naquilo que não sacia? Se me ouvis, comereis excelentes manjares, uma suculenta comida fará vossas delícias.
3 Prestai-me atenção, e vinde a mim; escutai, e vossa alma viverá: quero concluir convosco uma eterna aliança, outorgando-vos os favores prometidos a Davi".
Palavra do Senhor.
 
Salmo responsorial 144/145
Vós abris a vossa mão e saciais os vossos filhos.
 
Misericórdia e piedade é o Senhor,
ele é amor, é paciência, é compaixão.
O Senhor é muito bom para com todos,
sua ternura abraça toda criatura.
 
Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam,
e vós lhes dais no tempo certo o alimento;
vós abris a vossa mão prodigamente
e saciais todo ser vivo com fartura.
 
É justo o Senhor em seus caminhos,
é santo em toda obra que ele faz.
ele está perto da pessoa que o invoca,
de todo aquele que o invoca lealmente.
 
Leitura (Romanos 8,35.37-39)
Leitura da carta de são aos Romanos.
Irmãos, 8 35 quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada?
37 Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou.
38 Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades,
39 nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor.
Palavra do Senhor.
 
Evangelho (Mateus 14,13-21)
Aleluia, aleluia, aleluia.
O homem não vive somente de pão, mas vive de toda palavra que sai da boca de Deus, e não só de pão. Amém. Aleluia, aleluia! (Mt 4,4)
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, quando soube da morte de João Batista 14 13 Jesus partiu dali numa barca para se retirar a um lugar deserto, mas o povo soube e a multidão das cidades o seguiu a pé.
14 Quando desembarcou, vendo Jesus essa numerosa multidão, moveu-se de compaixão para ela e curou seus doentes.
15 Caía a tarde. Agrupados em volta dele, os discípulos disseram-lhe: "Este lugar é deserto e a hora é avançada. Despede esta gente para que vá comprar víveres na aldeia".
16 Jesus, porém, respondeu: "Não é necessário: dai-lhe vós mesmos de comer".
17 Mas, disseram eles, "nós não temos aqui mais que cinco pães e dois peixes".
18 "Trazei-mos", disse-lhes ele.
19 Mandou, então, a multidão assentar-se na relva, tomou os cinco pães e os dois peixes e, elevando os olhos ao céu, abençoou-os. Partindo em seguida os pães, deu-os aos seus discípulos, que os distribuíram ao povo.
20 Todos comeram e ficaram fartos, e, dos pedaços que sobraram, recolheram doze cestos cheios.
21 Ora, os convivas foram aproximadamente cinco mil homens, sem contar as mulheres e crianças.
Palavra da Salvação.
 
Comentário ao Evangelho
DÊEM-LHES DE COMER!
A ordem dada aos discípulos - "Dêem-lhes de comer!" - pode ter-lhes soado como uma ironia. Havia condições de saciar uma multidão, reunida num lugar deserto para escutar Jesus? Não seria mais lógico despedi-la para que pudesse comprar alimentos nas aldeias vizinhas?
A ordem do Mestre parecia impossível de ser executada. Contudo, começou a ser superada, quando os discípulos apresentaram a quantidade de alimento disponível: cinco pães e dois peixes. Bastou-lhes colocá-los à disposição de todos, para que ninguém voltasse para casa faminto.
Assim aconteceu! Num gesto quase litúrgico, Jesus tomou os pães e os peixes, ergueu os olhos para os céus, abençoou-os, partiu-os, deu-os aos discípulos e estes, à multidão. A pequena porção de alimento começou a ser condividida. E todos comeram até à saciedade. E mais, sobraram doze cestos cheios, apesar da enorme quantidade de gente.
Este episódio contém um claro ensinamento. O problema da fome resolve-se com a partilha. Se tivessem ido às aldeias, quem tivesse dinheiro e fosse mais esperto, fartar-se-ia. Quanto aos pobres e os menos ágeis ficariam em desvantagem, permanecendo famintos.
Esta situação é incompatível com o Reino, cujo projeto de fraternidade supera todo tipo de desigualdade.
 
Oração
Espírito de fraternidade, não permitas que eu me apegue àquilo que possuo, quando tantas pessoas estão à espera da minha generosidade para sobreviver.
 
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
 
Sobre as oferendas
Dignai-vos, ó Deus, santificar estas oferendas e, aceitando este sacrifício espiritual, fazei de nós uma oferenda eterna para vós. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da comunhão: Vós nos destes, Senhor, o pão do céu, que contém todo sabor e satisfaz todo paladar (Sb 16,20).
Depois da comunhão
Acompanhai, ó Deus, com proteção constante os que renovastes com o pão do céu e, como não cessais de alimentá-los, tornai-os dignos da salvação eterna. Por Cristo, nosso Senhor.


Dom Total

Evangelho do Dia: Ano A - Domingo 3 de agosto de 2014

Mateus 14,13-21

Aleluia, aleluia, aleluia.
O homem não vive somente de pão, mas vive de toda palavra que sai da boca de Deus, e não só de pão. Amém. Aleluia, aleluia! (Mt 4,4)
 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, quando soube da morte de João Batista 14 13 Jesus partiu dali numa barca para se retirar a um lugar deserto, mas o povo soube e a multidão das cidades o seguiu a pé.
14 Quando desembarcou, vendo Jesus essa numerosa multidão, moveu-se de compaixão para ela e curou seus doentes.
15 Caía a tarde. Agrupados em volta dele, os discípulos disseram-lhe: "Este lugar é deserto e a hora é avançada. Despede esta gente para que vá comprar víveres na aldeia".
16 Jesus, porém, respondeu: "Não é necessário: dai-lhe vós mesmos de comer".
17 Mas, disseram eles, "nós não temos aqui mais que cinco pães e dois peixes".
18 "Trazei-mos", disse-lhes ele.
19 Mandou, então, a multidão assentar-se na relva, tomou os cinco pães e os dois peixes e, elevando os olhos ao céu, abençoou-os. Partindo em seguida os pães, deu-os aos seus discípulos, que os distribuíram ao povo.
20 Todos comeram e ficaram fartos, e, dos pedaços que sobraram, recolheram doze cestos cheios.
21 Ora, os convivas foram aproximadamente cinco mil homens, sem contar as mulheres e crianças.
Palavra da Salvação.
 

Comentário do Evangelho
DÊEM-LHES DE COMER!
A ordem dada aos discípulos - "Dêem-lhes de comer!" - pode ter-lhes soado como uma ironia. Havia condições de saciar uma multidão, reunida num lugar deserto para escutar Jesus? Não seria mais lógico despedi-la para que pudesse comprar alimentos nas aldeias vizinhas?
A ordem do Mestre parecia impossível de ser executada. Contudo, começou a ser superada, quando os discípulos apresentaram a quantidade de alimento disponível: cinco pães e dois peixes. Bastou-lhes colocá-los à disposição de todos, para que ninguém voltasse para casa faminto.
Assim aconteceu! Num gesto quase litúrgico, Jesus tomou os pães e os peixes, ergueu os olhos para os céus, abençoou-os, partiu-os, deu-os aos discípulos e estes, à multidão. A pequena porção de alimento começou a ser condividida. E todos comeram até à saciedade. E mais, sobraram doze cestos cheios, apesar da enorme quantidade de gente.
Este episódio contém um claro ensinamento. O problema da fome resolve-se com a partilha. Se tivessem ido às aldeias, quem tivesse dinheiro e fosse mais esperto, fartar-se-ia. Quanto aos pobres e os menos ágeis ficariam em desvantagem, permanecendo famintos.
Esta situação é incompatível com o Reino, cujo projeto de fraternidade supera todo tipo de desigualdade.

Oração
Espírito de fraternidade, não permitas que eu me apegue àquilo que possuo, quando tantas pessoas estão à espera da minha generosidade para sobreviver.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
 
Leitura
Isaías 55,1-3
Leitura do livro do profeta Isaías.
Assim diz o Senhor: 55 1 "Todos vós, que estais sedentos, vinde à nascente das águas; vinde comer, vós que não tendes alimento. Vinde comprar trigo sem dinheiro, vinho e leite sem pagar!
2 Por que despender vosso dinheiro naquilo que não alimenta, e o produto de vosso trabalho naquilo que não sacia? Se me ouvis, comereis excelentes manjares, uma suculenta comida fará vossas delícias.
3 Prestai-me atenção, e vinde a mim; escutai, e vossa alma viverá: quero concluir convosco uma eterna aliança, outorgando-vos os favores prometidos a Davi".
Palavra do Senhor.
 
Salmo 144/145
Vós abris a vossa mão e saciais os vossos filhos.

Misericórdia e piedade é o Senhor,
ele é amor, é paciência, é compaixão.
O Senhor é muito bom para com todos,
sua ternura abraça toda criatura.

Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam,
e vós lhes dais no tempo certo o alimento;
vós abris a vossa mão prodigamente
e saciais todo ser vivo com fartura.

É justo o Senhor em seus caminhos,
é santo em toda obra que ele faz.
ele está perto da pessoa que o invoca,
de todo aquele que o invoca lealmente.
 
Oração
Manifestais, ó Deus, vossa inesgotável bondade para com os filhos e filhas que vos imploram e se gloriam de vos ter como criador e guia, restaurando para eles a vossa criação e conservando-a renovada. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Dom Total

Músicas para o 18º Domingo Comum (03/08/2014)

Deus está perto


1ª Opção:


Os vídeos ou áudios aqui apresentados têm o objetivo de proporcionar apenas amostras dos cantos
litúrgicos suficientes para os que desejam aprender e cantar nas liturgias. As músicas completas poderão ser adquiridas em estabelecimento que comercialize músicas católicas ou pela internet nos sites especializados.

ENTRADA Vídeo ou mp3 Partitura Cifra Indicação
Senhor tua aliança Vídeo Partitura Cifra 1
Alegres vamos à casa do Pai Vídeo Partitura Cifra 2
Eis-me aqui Senhor Vídeo Partitura Cifra 3
SALMO RESPONSORIAL
Mostrai-nos ó Senhor Vídeo Partitura Cifra 1
ACLAMAÇÃO
Aleluia! Eu confio em nosso Senhor Vídeo Partitura Cifra 1
Aleluia! A tua palavra, Senhor, quero ouvir Vídeo Partitura Cifra 5
OFERENDAS
A mesa santa Vídeo Partitura Cifra 1
Muitos grãos de trigo Vídeo Partitura Cifra 2
No teu altar Senhor Vídeo Partitura Cifra 3
Nos caminhos deste mundo Vídeo Partitura Cifra 3
COMUNHÃO
É bom estarmos juntos Vídeo Partitura Cifra 1
Na mesa sagrada Vídeo Partitura Cifra 2
O Pai enviou seu Filho querido Vídeo Partitura Cifra 5
OUTROS
O pão da vida, a comunhão Vídeo Partitura Cifra 2
Quero ouvir teu apelo Senhor Vídeo Partitura Cifra 4


Indicações:

1. Folhetos litúrgicos de circulação nacional.
2. Arquidiocese de Goiania – GO.
3. Diocese de Colatina – ES.
4. Arquidiocese de São Paulo – SP.
5. Site especializado em liturgia.

2ª Opção:

SUGESTÕES DE CANTOS PARA A MISSA:

Entrada:
- Tu és a Razão da jornada
- Alegres vamos a casa do Pai
- Vamos Celebrar
- Fico Feliz em vir em tua Casa

- Vai começar a Missa (Grupo Ruah)

   
Ato Penitencial:

- Eu Confesso a Deus

- Kirie Eleison (Com. Shalom)
- Senhor tende piedade, compadece-te
- Senhor que Vieste Salvar
- Quero Confessar 
- Senhor que Vieste para Perdoar
- Pelos Pecados
- Tende Piedade
- Senhor Vós Sois o Caminho
- Kirie Eleison (Nando Mendes)
Cifra e Video 
- Perdão Senhor
- Senhor, Tende Piedade (Pai de Infinita Bondade)

Glória:
- Hino de Louvor VI
- Cantemos Glória
- Glória a Deus nas Alturas  
- Louvores a Deus - Liturgico 

- Glória, Anjos do Céu

- Gloria, Aleluia
- Glória a Deus nas Alturas
- Gloria a Deus no Céu e Paz na Terra 
- Glória a Deus nos altos Céus
- Louvores ao Pai

Salmo:



Aclamação:
- Aleluia



Ofertório:
- A mesa Santa que Preparamos
- Os Grãos que se Formam Espiga
- Quando o trigo Amadurece
- A Ti meu Deus
- Um coração para amar
- De mãos Estendidas 
- As nossas ofertas de Vinho e de Pão
- Pão e Vinho
- Tudo o que Tenho
- Minha Vida Tem Sentido
- Meu coração é para Ti, Senhor
- Nesta Prece Senhor
- Bendito sejais

Santo:
- Deus é Santo 
Santo - Pe. Cleidimar Moreira
Hosana, Ao nosso Deus
-Santo, Santo é
Hosana, Ao nosso Deus

Paz:
- Esteja Sempre com Você
- Bom e Agradável
- Shalom, te amo

Cordeiro:
- Cordeiro de Deus
- Cordeiro de Deus (Opção 2)

Comunhão:
- Cantar a beleza da Vida
- Feliz o homem que ama o Senhor
- Eis que sou o pão da Vida
- O Pão da Vida, a Comunhão
Cifra e Video 
- De Coração
- Verbum Panis
- Como és Lindo
- Eu sou o Pão do Céu
Cifra e Video 
- Toma e Come
  
Pós-Comunhão:
- Ao Partir do Pão
- O que Agrada a Deus
- Misericórdia Infinita
Venho Senhor

Final:
- Mãe da Fé
Cifra e Video


Para curtir a nossa pagina do Facebook clique aqui!




Salmo do 18º Domingo Tempo Comum - 03 de Agosto 2014

1ª Opção: 


* Salmo 144 *
18º Domingo Tempo Comum
Cifra & Letra (Word)

MP3 (música)
Ficha técnica:
 Voz e melodia: Bruno Camurati
 Arranjos e gravação: Thiago Jacobs
 Vinheta de abertura: Alex Olliveira
(Banda Canal da Graça)
 Divulgação e Apoio: Rafael de Angeli
& Portal da Música Católica
Aline Venturi

Saiba mais sobre Bruno Camurati (e/ou entre em contato):
 WebSite Oficial: brunocamurati.com
 E-mail: bcamurati@yahoo.com.br
 Facebook: fb.com/bruno.camurati Twitter: twitter.com/brunocamurati
 Fé&Som: feesom.com/brunocamurati

 Comprar ou conhecer o CD de Bruno Camurati? Clique AQUI!


2ª Opção: (Em breve)


Para Curtir a nossa Página no Facebook Clique Aqui!
Portal da Música Católica